turismosul.com.br
Home Santa Catarina Rio G do Sul Contato


     Baleias Francas no litoral sul de Santa Catarina SC

     Aguarde... carregamento do Vídeo
Baleias Francas

Entre os meses de maio e novembro, estes charmosos e simpáticos cetáceos deixam as águas frias do litoral sul da Argentina para ter e amamentar os seus filhotes em águas mais rasas e quentes. 
É um belíssimo espetáculo ver as mães com seus filhotes, próximo à costa  nadando, saltando e mostrando as nadadeiras e a cauda.
Em 2000 foi criada a Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca (APA) em todo o litoral sul de Santa Catarina para proteção desses lindos mamíferos.
O turismo de observação das baleias é muito comum e interessante, porém é obrigatório o respeito às leis. O ideal para observação é procurar lugares altos e levar um binóculo. No mês de setembro acontece em Imbituba o Festival Nacional da Baleia Franca.
 Fonte matéria: http://www.belasantacatarina.com.br


 

 

Projeto Baleia Franca

Em 1981 já indicava a presença regular recente de “baleias pretas” com filhotes. Com a continuidade das buscas, em agosto de 1982 a avistagem de uma fêmea adulta e seu filhote na praia de Ubatuba, Ilha de São Francisco do Sul, SC, e de várias outras observações posteriores de pares de mãe e filhote no mesmo ano vieram a confirmar o status do litoral catarinense como área ativa de reprodução das baleias francas no Brasil.
 Uma análise das avistagens registradas por mais de vinte anos de atividades contínuas demonstra a existência de uma área de concentração nitidamente marcada, situada entre a Ilha de Santa Catarina e o Cabo de Santa Marta, na costa catarinense, em que os censos aéreos realizados corroboraram as avistagens  de terra em  determinar  tal  faixa de  maior  concentração sazonal dos animais. Ao longo dos anos seguintes, a partir de 1982, continuaram as atividades do já então denominado Projeto Baleia Franca, cujo objetivo fundamental, até hoje inalterado, é garantir a sobrevivência e a recuperação populacional da baleia franca em águas brasileiras.   
          Fonte:


http://www.baleiafranca.org.br/oprojeto/oprojeto_historico.htm